• Gustavo Sette

Vida de herdeiro / sucessor não é só curtição! Algumas tarefas são indelegáveis.

O Valor Econômico de hoje traz uma matéria de alto impacto para sucessores e herdeiros: há uma tese do Judiciário que defende que herdeiros são responsáveis por dívidas e passivos deixados por parentes mortos.




A responsabilidade é limitada ao tamanho do que herdaram, ou seja, se a pessoa tinha um patrimônio de 100, herdou outros 100 e há uma dívida de 500, só a parte herdada entra no risco.


O problema é que são questões complexas, demoradas, imprevisíveis e cujo entendimento muda com o tempo. Não há certezas em causas desse tipo, e é um jogo em que cada rodada leva alguns anos.


No meu trabalho com sucessores e herdeiros, vejo uma postura muito comum e preocupante: “os assuntos chatos, meus pais estão cuidando”. Usam o contador / advogado / assessor de investimentos dos pais. Mais do que isso: aceitam 100% das teses e visões dos pais sem formar a própria opinião.


Tal postura está errada. Alguns conhecimentos e decisões são indelegáveis. Todo sucessor precisa se dedicar pessoalmente a aprender um básico de: tributos / impostos, algumas questões de direito e dominar gestão de investimentos, tanto no país de residência quanto fora, pensando em proteção patrimonial.


Os pais estão cuidando? Ótimo, mas desenvolva seus próprios conhecimentos e sua própria rede de consultores e especialistas.


Tendo conhecimento, repertório e profissionais que olharão para os seus interesses, ficará mais fácil tomar as próprias decisões.


O sucessor que não faz essa lição de casa estará sempre nas mãos de profissionais que não foram contratados por ele, o vínculo era com os pais.


Faça para você mesmo a seguinte pergunta: se você herdar amanhã uma cesta patrimonial que inclui ações de uma empresa, imóveis e aplicações financeiras, você está preparado? Todos esses ativos exigem gestão e decisões, e o tempo que você demorar para tomar pé da situação pode ser fatal.


Não faltam exemplos de enormes perdas patrimoniais causadas pelo despreparo, e um plano de desenvolvimento pessoal não se faz do dia para a noite.

Valor Econômico, 25/7/22

14 visualizações0 comentário