• Gustavo Sette

Magazine Luiza: desafio da sucessão é agora.

9 em 10 consultores usam o case Magalu como bom exemplo de sucessão. Eu mesmo já o fiz, mas sempre com uma ressalva: vamos esperar a primeira crise para ver um “teste de stress”.





E eis que a crise está posta. A empresa reportou ontem um resultado decepcionante. A operação de lojas físicas talvez precise ser repensada. A ação cai 80% em um ano. Tudo isso em um momento em que Luiza Helena Trajano sofre críticas por alguns posicionamentos de seu flerte com a política (não vou entrar no mérito).


O pior cenário possível é uma volta atabalhoada da antiga CEO, o que é um clichê em empresas familiares. O líder passa o bastão e, na primeira crise real ou imaginária, volta com a narrativa de que “essa empresa precisa de mim”.


NÃO ME PARECE SER O CASO. A empresa e a família superarão esse momento. Frederico Trajano é preparado e tem um bom time. A governança da empresa me parece sólida, e Luiza, aos 70 anos, parece ter muita consciência do que é liderança.

Meu palpite é que dará tudo certo - e talvez até aproveitem a crise MAIOR de alguns concorrentes para fazer aquisições, transformando o limão em limonada.


A empresa e a família evoluirão muito e será um caso ainda mais enriquecedor de sucessão. Vamos acompanhar – e torcer por eles.

1 visualização0 comentário